MENU ARQUITETURA E URBANISMO

Apresentação

O QUE É A PROFISSÃO

O Arquiteto e Urbanista atua nos espaços onde o homem vive. É, portanto, um profissional que desenvolve pesquisa e concretiza projetos de construção e reestruturação do espaço, de modo a garantir a qualidade de vida, atendendo às necessidades funcionais, psicológicas, estéticas e sociais do homem, bem como suas relações com meio público. Pode ainda seguir a carreira acadêmica ou ser um profissional liberal, trabalhando em escritórios de arquitetura e grandes corporações do setor da construção civil.

SOBRE O CURSO DE ARQUITETURA NO UNIFATEA

O Curso de Arquitetura e Urbanismo têm como objetivo a formação de arquitetos e urbanistas que sejam profissionais aptos a compreender e dar respostas às necessidades sociais, culturais, estéticas e econômicas das comunidades, com relação ao planejamento do espaço, ao urbanismo, à construção de edifícios, ao paisagismo, bem como à conservação e valorização do patrimônio construído, proteção do equilíbrio natural e à utilização racional dos recursos disponíveis.

Profissionais com capacidade para atuar em organizações dos diversos setores da economia, pública ou privada, bem como para o envolvimento na área acadêmica de ensino e pesquisa.

Duração: 05 anos (mínimo) até 09 anos (máximo)
Seriado: Semestral
Aulas: Segunda-feira à quinta-feira (Presencial)
Sexta-feira: oficinas (EAD), atividades interdisciplinares, visitas técnicas, etc.


CARGA HORÁRIA

Conteúdos Disciplinares: 3200 horas
TCC – Trabalho de Conclusão de Curso: 80 horas
AC – Atividades Complementares: 200 horas
Estágio Curricular Supervisionado: 400 horas
Carga Horária Total do Curso: 3880 horas

RECURSOS DISPONÍVEIS

- Salas de aula com TV’s ou Datashow;
- Salas de Desenho com pranchetas e réguas paralelas;
- Laboratório de Tecnologia (Conforto Ambiental, Topografia, Tecnologia da Construção, etc); 
- Laboratório de Maquetes e Modelos;
- Laboratório Canteiro de Obras;
- Laboratórios de Informática;
- Oficina de Madeira e Metal;
- Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo (EMAU);

EVENTOS DO CURSO

- Casa Real (evento bienal, projeto prático de reforma, construção e paisagismo itinerante);
- Semana da Arquitetura e Urbanismo (palestras e oficinas);
- Semana do Concurso de arquitetura e urbanismo.

 

PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO

A avaliação do estudante integra o processo ensino-aprendizagem, é realizada para cada disciplina, na perspectiva do Curso todo, e incide sobre a frequência e o aproveitamento nos estudos.

A avaliação do aluno decorre de acompanhamento contínuo, ao qual se integram os resultados de verificações escolares, e visa a detectar possíveis desvios que interfiram no processo. Cabe ao professor da disciplina aplicar as avaliações e julgar os resultados. Devem ser no mínimo três por semestre letivo, de diferentes modalidades, e, ao final de cada semestre, o professor extrai o conceito semestral que reflete o desempenho do aluno na disciplina.

O sistema de avaliação é conceitual, representado por menções ou letras (conforme quadro abaixo) que devem corresponder ao desempenho do aluno, à sua produção intelectual, participação na vida acadêmica, comprovação do domínio de conhecimentos e do desenvolvimento de habilidades, tendo em conta os fundamentos e os objetivos essenciais da disciplina, propostos no projeto pedagógico do curso e pelo professor no Plano de Ensino.

 

Conceitos

Excelente

Bom

Satisfatório

Fraco

Insuficiente

Menções

A

B

C

D

E

 

O aproveitamento deve refletir o desempenho do estudante em diferentes experiências de aprendizagem. Na avaliação por conceito prevalecem os aspectos qualitativos sobre os quantitativos. A aprendizagem qualitativa é aquela que leva o educando a apropriar-se de fundamentos, saberes e competências que lhe possibilitam aprendizagens futuras (aprender a aprender).

Conforme o Regimento Geral, permite-se ao aluno que não participar de avaliações escolares semestrais, na data fixada, a oportunidade de 2ª chamada, em data marcada no calendário acadêmico.

O professor pode atribuir conceito nulo (N) ao aluno, se este não participar de nenhuma avaliação da disciplina e não se beneficiar da 2ª chamada, ou ainda, quando usar meios fraudulentos ou não autorizados pelo professor na realização de trabalhos escolares.

Para ser promovido o discente deve lograr conceito igual ou superior a “C” na disciplina do semestre, caso contrário, obriga-se à Avaliação Compensatória - AC, sempre considerando a frequência mínima. A AC consiste em prova, trabalho, projeto, banca ou outra forma de avaliação, inclusive oral.

O aluno com conceito do semestre igual a “D” deve realizar AC. Não faz jus à AC, ficando diretamente retido, estudante com:

- conceito “E” em disciplina do semestre, independentemente da frequência;

- conceito “N” em disciplina do semestre, independentemente da frequência.

O aluno fica retido, também, na disciplina do semestre quando apresentar:

1. frequência inferior a 75% ou ao que determinar o projeto pedagógico do curso, com base no § 1º do Art. 91, independentemente do desempenho alcançado;

2. conceito igual a “D” ou “E” na AC, com qualquer frequência.

Não existe 2ª chamada para a Avaliação Compensatória.

O aluno retido em disciplinas do semestre da série em curso deve, primeiramente, frequentá-las, no ano imediato, podendo, além dessas, cursar outras disciplinas programadas para a série subsequente, desde que o horário permita e sejam observadas as orientações do Coordenador do Curso, quanto à ordenação e sequência curricular. Considera-se para essas medidas as disciplinas objeto de retenção do 1º e ou do 2º semestre da série que o educando cursava.

O estudante pode requerer a criação de turma especial, para receber, em horários alternativos, período de férias ou de recesso escolar, aulas da disciplina na qual foi retido, ministradas pelo próprio professor ou por monitor orientado pelo professor. Pode solicitar a inclusão no regime alternativo de integralização curricular, se preencher as condições, para cursar a disciplina sob orientação docente e apoio da informática, sendo avaliado pelos critérios acima explicitados.

E pode, ainda, abreviar a duração do curso, se demonstrar extraordinário desempenho nos estudos, submetendo-se à avaliação aplicada por banca examinadora especial.

É vedado o abono de faltas ao aluno, exceto nos casos de afecções congênitas ou adquiridas, infecções, traumatismos ou outras condições mórbidas (Decreto-Lei nº 1.044/69), e para gestantes (Lei nº 6.202/75). Nesses casos, é permitido ao estudante requerer o regime especial de compensação de ausências por meio de exercícios domiciliares.

Recuperação

Adota-se como um dos princípios de ensino, a recuperação contínua semestral dos alunos que apresentem aproveitamento insuficiente, visando a sanar dificuldades recuperáveis e garantir a continuidade do processo ensino aprendizagem.



NDE – NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE, PORTARIA DE 18/04/2016

I. Dr. José Ricardo Flores Faria - Integral - Coordenador do Curso;
II. Dr. José Wilson Jesus Silva – Integral;

III. Me. André Luiz Macahiba Benine - Parcial;

IV. Me. Darwin Rodrigues Mota - Integral;

V. Esp. Bárbara Sparemberg Nunes – Parcial. 

 

PPC de Arquitetura e Urbanismo