Apresentação

O QUE É A PROFISSÃO

O Enfermeiro atua no cuidado do ser humano, seja ele indivíduo, família ou comunidade. É o profissional da área da saúde que se dedica a promover, manter e restabelecer a saúde das pessoas. Portanto capacitado a atuar, com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, como promotor integral do ser humano. Pode exercer atividades como direção e organização do órgão de enfermagem integrante da estrutura básica da instituição de saúde, pública e privada; Planejamento, organização, coordenação, execução e avaliação dos serviços da assistência de enfermagem; Consultoria, auditoria e emissão de parecer sobre matéria de enfermagem; Consulta de enfermagem; Prescrição da assistência de enfermagem; Cuidados diretos de enfermagem a acidentes com risco de vida; Cuidados de enfermagem de maior complexidade técnica e que exijam conhecimento de base científica e capacidade de tomar decisões imediatas. A inserção do Enfermeiro no mercado de trabalho é abrangente e várias são as áreas em que poderá se especializar.

 

SOBRE O CURSO DE ENFERMAGEM NO UNIFATEA

O curso de Enfermagem tem como objetivo a formação de enfermeiros generalista, aptos a desenvolver ações de enfermagem nos serviços de proteção, recuperação e reabilitação da saúde, tendo como base a sistematização da assistência e a atuação como educador em saúde, gerenciar serviços de enfermagem e de saúde, assumir coordenação de equipes de enfermagem e multiprofissional com capacidade efetiva para liderança, tomada de decisões e comunicação, realizar auditoria e emitir parecer em questões de enfermagem, prestar assessoria e consultoria em assuntos de sua especialidade, manter e assumir responsabilidade com a continuidade de sua própria educação, consoante com o avanço científico e as transformações sociais vigentes, bem como educação da equipe de trabalho e das futuras gerações de profissionais na área da saúde, produzir conhecimento cientifico na área de enfermagem. Para tal, acontecem aulas praticas em laboratórios na primeira série do curso e as práticas clínicas em campo na segunda, terceira e quarta série culminando com a vivência clínica na quinta série do curso.

Duração: 05 anos (mínimo) até 09 anos (máximo)
Seriado: Semestral
Aulas: Segunda-feira à sexta-feira (Presencial)
Atividades: oficinas (EAD), atividades interdisciplinares, visitas técnicas, atividades em laboratórios, praticas de ensino clínico, estágios curriculares supervisionados, etc.


CARGA HORÁRIA

Carga Horária Disciplinas Teóricas: 2.560 horas

Carga Horária Prática (prática em laboratórios e ensino Clínico em campo): 400 horas

Estágio Curricular supervisionado: 800 horas

Trabalho de Conclusão do Curso (TCC): 40 horas

Atividades Complementares (AC):200 horas

Carga Horária Total do Curso: 4.000 horas


RECURSOS DISPONÍVEIS

- Salas de aula com TV’s ou Datashow;
- Biblioteca;
- Laboratório de Biologia; 
- Laboratório de Microbiologia e Parasitologia;
- Laboratório de Anatomia e Fisiologia;
- Laboratórios de Enfermagem (Laboratório de Procedimentos Básicos e Avançados em Enfermagem, Laboratório de Atenção a Criança e a Gestante, Laboratório em Sala de Cirurgia);
- Laboratórios de Informática;
- Ambulatório de Enfermagem (atendimento diário a comunidade);
- Sala de Atendimento de Enfermagem (aos alunos da instituição);
- Revista Eletrônica de Enfermagem do Vale do Paraíba (REENVAP);

EVENTOS DO CURSO

- Dia do Enfermeiro

- Semana da Enfermagem

- Simpósio de Enfermagem com Mostra científica

 

AÇÕES E PROJETOS DE EXTENSÃO

- Enfermeirandos da Alegria

- Atenção a pessoas com lesão de pele

- Educação em Saúde

- Atenção ao Idoso

- Atenção a Saúde da Comunidade

 

AVALIAÇÕES DO CURSO

Guia do Estudante de 2015 - 4 estrelas

ENADE - Nota 3

 

PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO

A avaliação do estudante integra o processo ensino-aprendizagem, é realizada para cada disciplina, na perspectiva do Curso todo, e incide sobre a frequência e o aproveitamento nos estudos.

A avaliação do aluno decorre de acompanhamento contínuo, ao qual se integram os resultados de verificações escolares, e visa a detectar possíveis desvios que interfiram no processo. Cabe ao professor da disciplina aplicar as avaliações e julgar os resultados. Devem ser no mínimo três por semestre letivo, de diferentes modalidades, e, ao final de cada semestre, o professor extrai o conceito semestral que reflete o desempenho do aluno na disciplina.

O sistema de avaliação é conceitual, representado por menções ou letras (conforme quadro abaixo) que devem corresponder ao desempenho do aluno, à sua produção intelectual, participação na vida acadêmica, comprovação do domínio de conhecimentos e do desenvolvimento de habilidades, tendo em conta os fundamentos e os objetivos essenciais da disciplina, propostos no projeto pedagógico do curso e pelo professor no Plano de Ensino.

 

Conceitos

Excelente

Bom

Satisfatório

Fraco

Insuficiente

Menções

A

B

C

D

E

 

O aproveitamento deve refletir o desempenho do estudante em diferentes experiências de aprendizagem. Na avaliação por conceito prevalecem os aspectos qualitativos sobre os quantitativos. A aprendizagem qualitativa é aquela que leva o educando a apropriar-se de fundamentos, saberes e competências que lhe possibilitam aprendizagens futuras (aprender a aprender).

Conforme o Regimento Geral, permite-se ao aluno que não participar de avaliações escolares semestrais, na data fixada, a oportunidade de 2ª chamada, em data marcada no calendário acadêmico.

O professor pode atribuir conceito nulo (N) ao aluno, se este não participar de nenhuma avaliação da disciplina e não se beneficiar da 2ª chamada, ou ainda, quando usar meios fraudulentos ou não autorizados pelo professor na realização de trabalhos escolares.

Para ser promovido o discente deve lograr conceito igual ou superior a “C” na disciplina do semestre, caso contrário, obriga-se à Avaliação Compensatória - AC, sempre considerando a frequência mínima. A AC consiste em prova, trabalho, projeto, banca ou outra forma de avaliação, inclusive oral.

O aluno com conceito do semestre igual a “D” deve realizar AC. Não faz jus à AC, ficando diretamente retido, estudante com:

- conceito “E” em disciplina do semestre, independentemente da frequência;

- conceito “N” em disciplina do semestre, independentemente da frequência.

O aluno fica retido, também, na disciplina do semestre quando apresentar:

1. frequência inferior a 75% ou ao que determinar o projeto pedagógico do curso, com base no § 1º do Art. 91, independentemente do desempenho alcançado;

2. conceito igual a “D” ou “E” na AC, com qualquer frequência.

Não existe 2ª chamada para a Avaliação Compensatória.

O aluno retido em disciplinas do semestre da série em curso deve, primeiramente, frequentá-las, no ano imediato, podendo, além dessas, cursar outras disciplinas programadas para a série subsequente, desde que o horário permita e sejam observadas as orientações do Coordenador do Curso, quanto à ordenação e sequência curricular. Considera-se para essas medidas as disciplinas objeto de retenção do 1º e ou do 2º semestre da série que o educando cursava.

O estudante pode requerer a criação de turma especial, para receber, em horários alternativos, período de férias ou de recesso escolar, aulas da disciplina na qual foi retido, ministradas pelo próprio professor ou por monitor orientado pelo professor. Pode solicitar a inclusão no regime alternativo de integralização curricular, se preencher as condições, para cursar a disciplina sob orientação docente e apoio da informática, sendo avaliado pelos critérios acima explicitados.

E pode, ainda, abreviar a duração do curso, se demonstrar extraordinário desempenho nos estudos, submetendo-se à avaliação aplicada por banca examinadora especial.

É vedado o abono de faltas ao aluno, exceto nos casos de afecções congênitas ou adquiridas, infecções, traumatismos ou outras condições mórbidas (Decreto-Lei nº 1.044/69), e para gestantes (Lei nº 6.202/75). Nesses casos, é permitido ao estudante requerer o regime especial de compensação de ausências por meio de exercícios domiciliares.

Recuperação

Adota-se como um dos princípios de ensino, a recuperação contínua semestral dos alunos que apresentem aproveitamento insuficiente, visando a sanar dificuldades recuperáveis e garantir a continuidade do processo ensino aprendizagem.


NDE – NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE

I. Me. Ana Beatriz Pinto da Silva Morita - Integral - Coordenador do Curso;
II. Dra. Cláudia Lysia Oliveira Araújo – Integral;
III. Me. Regina Célia - Integral;
IV. Me. Mara Filomena Falavigna - Parcial;
V. Me. Rosana Tupinambá Frazilli – Parcial.

 

PPC de Enfermagem