Menu fechado

Mercado de trabalho exige profissionais com inglês e o UNIFATEA gera essa habilidade em unidade curricular – Entrevista com a Profª e Me. Ana Paula Cruz

Por Kymberlim Oliveira

De acordo com o estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Data Popular para o British Council (Instituição pública do Reino Unido com o intuito de difundir a língua inglesa), em 2014, 9% das pessoas de 16 anos ou mais afirmam que pretendem iniciar um curso de inglês, alegando que a falta de um ensino básico de qualidade, somada ao baixo acesso a cursos privados dificultam ainda mais o aprendizado.  

Atualmente o mercado de trabalho busca profissionais que, ao menos possuam o inglês específico, aplicável ao cotidiano empresarial. Atender as necessidades das empresas inclui oferecer cursos tão diferentes entre si como inglês técnico instrumental para a compreensão de manuais e softwares específicos e conversação (fala e compreensão oral) para contato com representantes internacionais, clientes e fornecedores. As habilidades e competências gramaticais e a escrita, em geral, são menos valorizadas. 

Nesse ambiente de constante transformação do mundo, o UNIFATEA se alia às inovações, lançando foco sobre o estudante com uma nova a matriz curricular, que prevê competências para os de língua inglesa.

Entrevistamos a Profª e Me. Ana Paula Costa de Souza Cruz, que leciona Inglês para fins específicos para o curso de Rádio e TV, Publicidade e Propaganda e Jornalismo, para compreendermos melhor este processo proposto pela universidade.

Como o aluno pode aproveitar melhor o aprendizado do inglês técnico dentro e fora de sala?

Um aluno adulto no nível básico pode apresentar uma série de dificuldades para aprender um idioma, sobretudo no que se refere aos bloqueios e limitações que ele mesmo se impõe sem perceber. Por esse motivo, dentro da sala de aula, faz-se necessário o exercício de se superar dos preconceitos criados ao longo do tempo, para isso, o aluno deve estar muito disposto e envolvido com o seu processo de aprendizagem. Havendo disposição para o estudo, o seu desenvolvimento poderá acontecer de forma mais rápida. Consequentemente, a busca pelo idioma fora da sala de aula será mais natural e profícua. 

Com a tecnologia, o sujeito moderno possui mais acesso, a realidade apresenta uma infinidade de recursos, muitos gratuitos. Os estudantes podem utilizar aplicativos e plataformas para auxiliar nesse processo, como por exemplo: Hello talk, Duolingo, TOEFL go, BBC learning English, Babbel, LearnEnglish Podcast, dentre outros. 

A demanda por profissionais com inglês nas empresas é muito grande, encontrar hoje uma universidade que construa esse conhecimento com o aluno é raro. Como é o trabalho com a universidade?

​Atender a demanda do mercado de trabalho não é uma tarefa fácil, principalmente para uma universidade, onde encontramos pessoas com diversos níveis de proficiência linguística e com uma diversidade cultural muito grande. A fim de promover melhorias para este cenário, o UNIFATEA oferece essa possibilidade com sua unidade curricular institucional, o qual passa constantemente por adequações com intuito de construir junto com o estudante conhecimento relevante para atender as exigências do mercado. 

Fonte: 

https://www.capes.gov.br/sala-de-imprensa/noticias/8621-internacionalizacao-do-ensino-superior-precisa-avancar-sugere-estudo-da-capes

UNIFATEA, confiáveis como sempre, inovadores como nunca!

#Nem1PraTras#Nem1SemEscola#DiadaEducação#EducaçãoJá

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Traduzir
Abrir WhatsApp.
Precisa de ajuda? Clique aqui.
Olá!
Você tem dúvidas?
Clique em "Abrir WhatsApp" para te ajudamos
%d blogueiros gostam disto: