Menu fechado

Isolamento permite aproximação de aves em Guaratinguetá

Por Prof. Dr. Ricardo Mendonça – coordenador do curso Biologia (clique e saiba mais sobre curso)

O isolamento social devido à pandemia do COVID-19 tem propiciado uma menor pressão ambiental sobre as aves e outros animais em vários locais do Brasil e do mundo.

Em Guaratinguetá esse cenário não está sendo diferente. Nessa segunda feira, 15 de junho, foi feito o primeiro registro de uma ave para município próximo ao centro da cidade.

Trata-se de um Tapicuru, Phimosus infuscatus, que pertence à mesma família dos colhereiros e guarás.

A ave foi fotografada no Ribeirão São Gonçalo pelo ornitólogo e Prof. Dr. Ricardo Mendonça.

O registro só foi possível devido ao compartilhamento de uma imagem pelo amigo do biólogo, o munícipe Nilton Camargo. “Ao receber a informação fui ao local registrar a ocorrência da ave”, relata o biólogo.

A ave também foi registrada por outros estudiosos em aves da cidade, Rafael Moreira, Danilo de Paula e José Carlos Perrenoud. No local também foram avistadas marrecas pé vermelho, garça branca pequena, quero quero e além de muitos passeriformes.

A ave destaca a importância do conhecimento e preservação ambiental em Guaratinguetá, “o município tem um grande potencial para o turismo ecológico e para o turismo de observação de aves”, relata o biólogo.

UNIFATEA,confiáveis como sempre, inovadores como nunca. Agora é EAD!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: