Menu fechado

Gentileza gera gentileza

Somos seres conectados e interativos.

Estamos todos os dias e todas as horas em constante interação e, hoje, por meio das ferramentas de mídias sociais e de comunicação on-line, somos capazes de estar em contato com as pessoas das mais variadas localidades.

Porém, apesar dessa constante interatividade, o que vemos é que as relações interpessoais próximas parecem cada vez mais superficiais, e, consequentemente, palavras como cortesia, empatia estão mais distantes de nossa realidade.

A impressão que nos fica é que a vida moderna, repleta de competitividade e escassa de tempo, dificulta as relações de gentileza e delicadeza. Afinal, como ser gentil enquanto enfrentamos o trânsito caótico das grandes cidades?  Como ter tempo e paciência para ouvir o outro em um dia a dia tão cheio de tarefas e obrigações?

Com certeza você já deve ter ouvido o ditado “gentileza gera gentileza”.

Essa frase foi criado por um homem chamado José Datrino, conhecido por carregar um estandarte escrito a mão pelo simples fato de sempre ser gentil com todos e pelas ruas do Rio, anunciava quão bem faz ser gentil.

E é exatamente nisso em que acredito! Vejo que a gentileza é como um “vírus” contagioso do bem: quanto mais gentis somos, mais nossa vida fica melhor e mais alegre, e mais pessoas ao nosso redor passam a agir da mesma maneira!

Ser gentil é um modo de agir, um jeito de ser, uma maneira de enxergar o mundo. É uma atitude muito mais sofisticada e profundada que ser educado. Conheço muita gente que segue todas as regras de etiqueta e de educação em um jantar sofisticado, mas que é incapaz de dar um sorriso sincero ao seu vizinho, que estacionou o carro no portão de sua casa mesmo que esteja escrito não estacione. Ser gentil tem ligação com o caráter, com valores e ética.

Eu realmente acredito no poder da gentileza e busco praticá-la todos os dias da minha vida. E percebo como um simples sorriso tem o poder de realizar mudanças.

Por isso, agora lhe lanço um desafio!

Ao longo do dia, elogie alguém que trabalha com você e fez um bom serviço, abrace com força e carinho seu par, filhos ou pais, ouça com atenção quando alguém lhe procurar com um problema.

Pratique a empatia e a gentileza!
Seja gentil com as pessoas, e elas, provavelmente, serão gentis com você também.

Como disse Shakespeare: “Eu aprendi que ser gentil é mais importante do que estar certo”.

Que tal alguns incentivos para praticar gentilezas?

  • Nunca economize: gentileza, sorrisos e bom humor;
  • Seja gentil com você mesmo;
  • Mostre que se importa;
  • Acorde agradecendo.

Ser gentil não é uma fórmula, mas sim um autocuidado, cuide-se sendo gentil com você mesmo. A situação que nos encontramos nesse momento de pandemia é a melhor hora de transmitir gentilezas, são tantas dores que o mundo está vivendo que precisamos ser a cura, mesmo que seja em pequenas atitudes.

Que nós enxerguemos o outro. E lembremos sempre que a gentileza gera gentileza!

 

Por Érica Moraes (Formada em Letras pelo UNIFATEA)

 

 

 

 

 

 

Foto de capa: Jonathan Borba on Unsplash

UNIFATEA, confiáveis como sempre, inovadores como nunca. Agora é EAD!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: