Menu fechado

Aluna de Letras desenvolve Revista e apresenta em Seminário Institucional inovando no segmento de seu trabalho

Alana Diniz Vieira, aluna do 7° período do curso de Letras UNIFATEA, produziu uma revista digital desenvolvida para a disciplina de Literatura Comparada. O professor da disciplina Prof. Dr. João Francisco propôs uma lista de temas para os alunos, Alana escolheu produzir uma revista chamada Homônimo e o tema da edição é o livro “Madame Bovary” de Gustave Flaubert.

O objetivo do trabalho era discorrer sobre o enredo e sobre a importância do livro escolhido para a atualidade. Ao final da apresentação, os alunos deveriam elencar para a turma motivos pelos quais outras pessoas deveriam ler a obra também.

A escolha do formato foi decidida pela própria aluna, que se destacou por ser a única em apresentar uma revista. Alana teve muita dificuldade em pensar no design da publicação, por não estudar na área de comunicação, esse foi um grande desafio. “Desenvolver este trabalho foi, ao mesmo tempo, um desafio e um prazer para mim enquanto professora da área de Letras. Certa vez, li a opinião de um Youtuber que questionava e criticava a literatura clássica em sala de aula. Por isso, resolvi propor a mim mesma uma nova maneira de levar essas histórias aos alunos de forma diferente e contextualizada. Criar uma revista foi a solução. ”, conta.

Sua escolha pelo tema “Madame Bovary” surgiu por gostar de clássicos do século XIX. “Eu, mulher do século XXI, precisava ousar para apresentar uma personagem que foi irreverente e fervorosa para a época em que foi retratada e, ainda assim, que possuía problemas que hoje são considerados atemporais. “, explica Alana.

Pelas características apresentadas nesse tipo de veículo de comunicação, a aluna viu uma oportunidade de chamar a atenção dos alunos e, claro, contar a história de Emma. O gênero de capa de revista é chamativo e incita o leitor por meio da manchete, das cores, das imagens e das chamadas secundárias.

Para isso, Alana fez matérias que os levavam, de uma forma ou de outra, aos acontecimentos da vida dessa personagem, aproveitando acontecimentos recentes para linkar a notícias reais e atuais de famosos, que passaram por situações semelhantes. São essas “pontes” entre literatura e realidade que mantêm o aluno interessado pela história.

“Espero que meu trabalho possa servir como modelo para outros”, finaliza a aluna de Letras.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Traduzir
%d blogueiros gostam disto: