Menu fechado

Ex-aluna do curso de Biologia do UNIFATEA é aprovada em programa de doutorado na USP

Letícia Alves Fernandes, formada no curso de Biologia do UNIFATEA no ano de 2020, foi aprovada no Programa de Doutorado em Anatomia de Animais Domésticos e Silvestres da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP. Este é um dos poucos programas com nota máxima na avaliação da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), nota 7. Sua pesquisa será direcionada para a área de câncer de mama em humanos, com a orientação da Profª Drª Ana Cláudia Oliveira Carreira Nishiyama.

Os estudos serão voltados para a investigação do papel dos exossomos em células de câncer de mama. Letícia explica que “todas as células liberam vesículas que as pessoas acreditam que sejam responsáveis pela comunicação intercelular (comunicação entre as células)”. Partindo desse princípio, Letícia irá explorar os conteúdos moleculares que os exossomos carregam, como as células reagem a existência ou não dessas vesículas, além de buscar possíveis biomarcadores tumorais, que são fundamentais para o diagnóstico.

Não estava em seus planos sair da graduação direto para o doutorado. “A área que escolhi trabalhar foi Biologia celular e molecular, especificamente com câncer de mama. Minhas duas iniciações científicas não foram nessa área e, por esse motivo, não cogitava fazer um doutorado direto”, relata. A ideia de pular para o doutorado veio quando decidiu cursar o mestrado.

Ela conta que escolheu a sua orientadora pela internet, marcou uma reunião por e-mail e foi até São Paulo. “Ela não me conhecia, mas topou de imediato! Fui para o laboratório naquele mesmo dia. Foi uma das pesquisadoras que viu meu currículo e sugeriu que eu tentasse o doutorado direto. Aceitei o desafio, estudei bastante e deu certo!”.

Ainda no Ensino Médio, Letícia teve seu primeiro contato com a iniciação científica. No UNIFATEA, Letícia relembra que teve o apoio da Professora Aline Souza, especialista na área de biologia molecular, a mesma área que pretendia seguir seus estudos. “Assim que entrei na instituição, em 2017, me deparei com um curso sensacional, extremamente organizado e professores maravilhosos. Eu já tinha em mente que gostaria de ser cientista/pesquisadora. Foi aí que conheci o Prof. Dr. Rosinei Batista, Pró-Reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão; ele me ajudou muito nesse processo”.

No primeiro ano de sua licenciatura em Biologia, buscando expandir seus conhecimentos na área, Letícia deu início a alguns cursos no Instituto Butantan, na Fundação Oswaldo Cruz e em faculdades federais. Já no ano seguinte, foi selecionada para um curso de inverno no Instituto Butantan, graças às pesquisas iniciadas no UNIFATEA. Em suas horas vagas, Letícia acompanhava o Prof. José Eduardo de Freitas, Técnico dos Laboratórios de Biologia no UNIFATEA. No segundo semestre de 2018, Letícia deu início a uma iniciação científica na USP.

Durante sua jornada acadêmica, Letícia participou de alguns congressos. Entre os mais importantes estão o “III Curso de Inverno em Dor e Sinalização Intracelular” do Instituto Butantan e o “IX Simpósio de Microbiologia Aplicada” que aconteceu na UNESP, em Rio Claro, e contou com ajuda de custo do UNIFATEA. Seus estudos alcançaram níveis internacionais, quando teve um projeto aprovado para apresentação no 41st Simposium on Biotechnology for Fuels and Chemicals, em Seattle, nos Estados Unidos.

Letícia está muito contente com a aprovação e refletindo muito sobre os próximos passos. “Sair da graduação direto para um doutorado, sem passar por um mestrado, é um desafio”, afirma. Apesar disso, Letícia permanece firme com o seu objetivo e não hesita em dizer que pretende fazer parte do doutorado no exterior. “Eu devo tudo isso ao UNIFATEA! Só cheguei até aqui graças ao apoio que tive”, pontua.

As aulas ainda não começaram, mas ela já faz planos para o futuro: “Planejo um pós-doc nessa área e me tornar uma pesquisadora, em uma empresa ou em uma universidade. É difícil definir esse tipo de meta considerando o cenário atual do Brasil, no qual o cientista não tem um futuro garantido… Mas de modo geral, a minha meta é ser pesquisadora. Essa é a única certeza que tenho na vida” finaliza.

Parabéns, Letícia! O UNIFATEA se orgulha da sua trajetória! ♥

 

Saiba mais sobre o curso de Biologia: https://unifatea.edu.br/licenciatura/biologia/

 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Traduzir
%d blogueiros gostam disto: