Menu fechado
marca_pibid-02

É indiscutível o quanto um Programa de Iniciação à Docência pode acrescentar na vida de um estudante de qualquer curso de Licenciatura, pois grande parte do que define um educador se encontra justamente nas experiências adquiridas ao longo do tempo, tanto no período de sua graduação como posteriormente. As teorias são de grande significado para um licenciando, mas certos aspectos do que é, essencialmente, ser um educador, somente podem ser verdadeiramente apreendidos pela prática. Tudo isso pôde ser confirmado pela observação daqueles que passaram pelo Centro Universitário Teresa d’Ávila, durante sua graduação e tiveram a oportunidade de vivenciar o PIBID (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência), nos anos anteriores. Foi com grande satisfação que, mais uma vez, o UNIFATEA passou a integrar o grupo de Universidades que oferecem as bolsas do PIBID para seus alunos dos cursos de Licenciatura.

RELATÓRIO GERAL 2018


Prof.ª Me Ana Paula Costa de Souza Cruz

No mês de agosto e setembro as escolas estaduais Alice Vilela Galvão, Luiz de Castro Pinto e Maria Amália de Magalhães Turner receberam os alunos dos primeiros e segundos anos do curso de Letras do Centro Universitário Teresa D’Ávila (Unifatea).

As professoras que supervisionaram os projetos nas escolas foram respectivamente Elisiane, Simara e Adriana, elas ajudaram os alunos na orientação e confecção de projetos, atendendo os requisitos do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid).

O projeto começou em 14 de agosto de 2018 com uma visita às escolas, em seguida, organização de horários, reuniões de integração e momentos de formação acadêmica e pedagógica. Contamos com a presença dos professores-supervisores no Unifatea e a partir disso, a interação entre os membros do grupo se intensificou.

Sob orientação, os alunos nos enviaram os relatórios a seguir, e foram orientados um a um, para que a partir das práticas iniciais sejam desenvolvidas atividades que auxiliem o contexto educacional. Além disso, espera-se que depois das observações dos meses de agosto e setembro, os alunos possam pensar em um público-alvo específico para o desenvolvimento de um artigo científico, para que fundamentem as suas ações em teorias educacionais apropriadas.

Os alunos foram apresentados às professoras das respectivas escolas, puderam compartilhar algumas experiências e foram acolhidos pelas equipes gestoras. Alguns tiveram a oportunidade de participar de reunião do Grêmio Estudantil, onde conheceram alguns alunos e também suas propostas para a escola.

Após as visitas, no dia 6 de setembro ocorreu, no UNIFATEA, um encontro dos alunos do curso de Licenciatura em Letras que participariam do PIBID, que contou com a ilustre presença dos educadores e responsáveis pelas escolas nomeadas acima, que também foi registrado com fotos.

Relatórios 2018/2019

PROFESSORA RESPONSÁVEL: Elisiane Aparecida Rodrigues Alves da Silva


Objetivo

Interação dos alunos do PIBID com o ambiente escolar desenvolvendo atividades diversificadas e auxiliando no processo ensino aprendizagem dos alunos da Escola Estadual Alice Vilela Galvão.


Introdução

As atividades do PIBID se iniciaram no dia 27/08/2018 com a apresentação da escola aos alunos do programa. Para que conhecessem melhor a realidade da escola e a clientela com quem irão trabalhar a professora responsável fez uma síntese dos objetivos da escola, apresentou o material da Secretaria da Educação utilizado pelos alunos e sugeriu que eles, inicialmente, participassem das aulas para que efetivamente conhecessem o público da escola.

A Escola Estadual Alice Vilela Galvão, seguindo orientações da Secretaria da Educação, aplica Avaliações de Aprendizagem em Processo e, assim, consegue perceber as habilidades que precisam ser trabalhadas novamente, corrigindo os rumos para que o ensino aprendizagem aconteça realmente.


Para as aulas de Inglês, as seguintes habilidades precisam ser trabalhadas:

  • Identificar o gênero de um texto por meio da apreensão de sua organização geral;
  • Localização de informação específica em um texto (gênero textual: música ou texto informativo);
  • Inferir significados apoiando-se em pistas e em conhecimentos prévios, bem como, pela tentativa de entender o que se pede (gênero textual: música/ texto informativo com foco no vocabulário e na estrutura gramatical da língua inglesa).

Para as aulas de Língua Portuguesa as seguintes habilidades precisam ser trabalhadas

  • 1ª Série do Ensino Médio
    • Estabelecer relações entre textos verbais (verbetes de dicionário ou de enciclopédia, notícia, poema) e/ou textos não verbais (foto);
    • Identificar ideias chave em um texto (verbetes de dicionário ou de enciclopédia, notícia, poema, foto).
  • 2ª Série do Ensino Médio
    • Inferir informação implícita em um texto;
    • Identificar marcas linguísticas em um texto do ponto de vista do léxico.

Metodologia

Aluno PIBID responsável: Ugo Fogaça Panza

Tendo como objetivo trabalhar com os recursos tecnológicos para alcançar determinados objetivos comunicativos , além de despertar o interesse no aluno em adquirir o conteúdo já visto, de forma diferente e atrativa.

  • Utilização da sala de informática, acessando:
    Letras de músicas: https://www.letras.mus.br/
  • Duolínguo: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.duolingo

Acompanhamento da atividade desenvolvido pelo aluno do programa

  • Acompanhamento da ação na apropriação das habilidades retomadas;
  • Atividade desenvolvida em uma aula semanal: possibilidade de utilizar diferentes abordagens e desafiar os alunos a desenvolverem as habilidades não atingidas anteriormente (orientações de recuperação do caderno do aluno);
  • Avaliação do processo privilegiando as habilidades propostas e a realização correta da atividade.

Alunos PIBID responsáveis Thais Maria Pacheco Barboza, Kalil Afonso de Almeida, Rafael Sidney Leal

Leitura de textos não-verbal e verbal, com procedimentos, relacionando:

  • as diferenças e as semelhanças: foco na estrutura dos textos, no tema tratado, no vocabulário , na finalidade;
  • idéias chave: leitura com recorte ou prioridade nas palavras que são repetidas no texto ou aquelas que são importantes para o entendimento do mesmo;
  • o entendimento do enunciado da atividade proposta e a realização correta desta atividade.

Observação: O aluno do programa Rafael está na fase de conhecimento das propostas da escola e na preparação do material para aplicação. Já ficou tratado que os objetivos de Língua Portuguesa da 1ª serie do Ensino Médio que já estão sendo trabalhados pelos alunos Thais e Kalil serão trabalhados por ele.

Trabalho desenvolvido em duas aulas semanais:

  • Questões da AAP (bimestres anteriores) trabalhadas focando a leitura;
  • Entendimento do texto e da comanda com possibilidade de utilizar diferentes abordagens desafiando os alunos a desenvolverem as habilidades não atingidas anteriormente;
  • Avaliação do processo privilegiando as habilidades propostas: gêneros textuais diversos (questões de alternativas).

Alunos PIBID responsáveis Larissa Helena de Araújo Mota e Elis Barbosa

Trabalho realizado em sala de aula:

  • Leitura de gêneros textuais diversos (artigos de opinião, HQ, letra de música, poema, trecho de romance, paródias ) que facilite e estimule a proficiência leitora;
  • Leitura, com procedimentos, que envolva habilidades afins (inferir informações, localizar elementos explícitos e/ou implícitos);
  • Estratégia de leitura que ajude na função de estabelecer a sequência do texto, a articulação das ideias além de possibilitar a identificação dos recursos de sentido utilizados no texto.

Trabalho desenvolvido em duas aulas semanais, na sala de multimídia

Assunto: Paródia

Apresentação aos alunos da música Cálice de Chico Buarque de Holanda e da paródia do rapper Criolo feita para esta música.

Avaliação: após comentários e discussão sobre o assunto proposto os alunos deverão produzir, em dublas, suas próprias paródias escolhendo algum gênero textual para a atividade.

Resultados

Atividades realizadas pelo aluno PIBID responsável: Ugo

Durante a aplicação da atividade foi possível observar que ao utilizar a ferramenta tecnológica o aluno teve mais interesse durante o processo ensino-aprendizagem. A atividade foi dinâmica e os objetivos propostos foram atingidos.

Atividades realizadas pelas alunas PIBID responsáveis Thaís e Kalil

Durante o desenvolvimento da atividade, foi possível perceber que os alunos (agora em menor número) estavam mais interessados em aprender, conseguiram esclarecer as dúvidas que tinham e se dispuseram a realizar as atividades propostas com dedicação.

Atividades realizadas pelas alunos PIBID responsáveis Larissa e Elis

A atividade desenvolvida pelas alunas despertou muito o interesse dos alunos que se dispuseram a opinar e levantar hipóteses sobre as intenções do autor quando escreveu a música (Chico Buarque) e do rapper Criolo, ao parodiá-la. A atividade de produção ainda está sendo realizada, mas foi possível perceber o interesse e criatividade dos alunos durante o início da produção.

 

Conclusão

Pode-se concluir que através das atividades realizadas, os alunos do PIBID puderam conhecer e vivenciar a realidade do ambiente escolar de maneira interativa e propiciar aos alunos da escola formas dinâmicas e atuais que facilitem o ensino aprendizagem.

PROFESSORA RESPONSÁVEL: Elisiane Aparecida Rodrigues Alves da Silva


Objetivo

Interação dos alunos do PIBID com o ambiente escolar desenvolvendo atividades diversificadas e auxiliando no processo de aprendizagem dos alunos da Escola Estadual Alice Vilela Galvão.


Introdução

Os alunos do PIBID, no mês de Fevereiro e Março conheceram a proposta da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo para o ensino da Língua Portuguesa e Língua inglesa neste ano. A proposta da escola será orientada pelo Guia de Transição e pelo Currículo do Estado de São Paulo e assim, iniciaram o planejamento das propostas diversificadas para auxiliar, em sala de aula, no processo ensino aprendizagem.

Desenvolvimento

Aluno PIBID responsável: Elis Barbosa (sexta-feira)

Trabalho desenvolvido em quatro aulas semanais de Língua Portuguesa, na sala de aula e na sala de multimídia.
Assunto: Literatura e Arte (2 aulas); Literatura Marginal (2 aulas).
Apresentação aos alunos do 1ª, 2ª e 3ª Séries do Ensino Médio do material preparado pela aluna Elis: música, vídeos e entrevista sobre o assunto.
Avaliação: após comentários e discussão sobre o assunto proposto os alunos analisaram , em grupos , partes de livros propostas pela aluna do PIBID.

Alunos PIBID responsáveis: Ugo, Amanda e Márcia (quarta-feira)

Assunto : Contos de fadas na atualidade

Leitura de textos  verbais, com procedimentos, relacionando:

  • as diferenças e as semelhanças: foco na estrutura dos textos, no tema tratado, no vocabulário, na finalidade;
  • ideias – chave: leitura com recorte ou prioridade nas palavras que são repetidas no texto ou aquelas que são importantes para o entendimento do mesmo;
  • o entendimento do enunciado da atividade proposta e a realização correta desta atividade.

Trabalho desenvolvido em duas aulas semanais de Língua Portuguesa  com a 1ª Série do Ensino Médio. Após comentários e discussão sobre o tema e os textos lidos, os alunos apresentaram para os colegas uma síntese daquilo que leram. Apresentação em grupo, trabalhada pelos alunos que escolheram   jogral, encenação e música para tratar do assunto do texto.

Assunto:  Reading and Listening (aulas de inglês)

Tem como objetivo  trabalhar com os recursos tecnológicos para alcançar   determinados objetivos comunicativos, além de despertar o interesse no aluno em adquirir o conteúdo já visto, de forma diferente e atrativa.

Utilização da sala de informática, acessando:

Conclusão

Pode-se concluir que através das atividades realizadas, os alunos do PIBID puderam conhecer e vivenciar a realidade do ambiente escolar de maneira interativa  e propiciar aos alunos da escola formas dinâmicas e atuais que facilitem o ensino aprendizagem.

PROFESSORA RESPONSÁVEL: Elisiane Aparecida Rodrigues Alves da Silva


Objetivo

Interação dos alunos do PIBID com o ambiente escolar desenvolvendo atividades diversificadas e auxiliando no processo de aprendizagem dos alunos da Escola Estadual Alice Vilela Galvão.


Introdução

A Escola Estadual Alice Vilela Galvão, seguindo orientações da Secretaria da Educação, aplica Avaliações de Aprendizagem em Processo e assim consegue perceber as habilidades que precisam ser trabalhadas novamente, corrigindo os rumos para que o ensino-aprendizagem aconteça realmente.

 Assim, para este bimestre o foco dos alunos PIBID será o Projeto de Estudo que será trabalhado para ajudar a desenvolver, seguindo orientações da Secretaria da Educação, o Plano de Melhoria da escola.

Projeto: Estratégias diversificas de estudo

Alunos PIBID responsáveis: Gabriela, Márcia, Amanda e Ugo

Métodos de ensino

  • Ensinar os alunos o que é, e como se monta um cronograma, abordando a importância de conhecer a própria rotina e adequar os estudos a mesma.
    Explicar o que é procrastinação e métodos para combatê-la.
    Ensiná-los a aprender mais explicando conteúdos a si mesmo, elaborando perguntas e buscando soluções.
    Como estudar em grupo de forma eficiente (ensinando o colega e aprendendo ao mesmo tempo)
    Ensiná-los como fazer resumos por meio de leituras e palavras chaves através de suas próprias palavras.
    Orientar os alunos que o estudo deve acontecer em locais adequados, sempre utilizando escrivaninhas, mesas, bibliotecas ou mesmo a própria escola

Desenvolvimento

O projeto ocorrerá por meio de pequenas oficinas tendo como foco a importância do hábito de estudo e leitura para o desenvolvimento da aprendizagem.

  • 1° etapa: O que é procrastinação e como evitá-la; como fazer um cronograma de estudo;
  • 2° etapa: importância da elaboração de resumos;
  • 3° etapa: estudo em grupo;
  • 4° etapa: estudo sozinho.

Conclusão

Pode-se concluir que a interação entre os alunos do PIBID e os alunos da Escola Alice Vilela têm facilitado a aplicação do projeto e que alguns alunos se dispuseram a realizá-lo reconhecendo a importância de se adquirir hábito de estudo. Devido à algumas alterações de datas não foi possível concluir todo o projeto neste semestre.

Sobre a escola

A escola é muito boa de trabalhar, tenho total autonomia dos professores e da coordenação, acolhimento afetuoso dos alunos, o qual proporciona um ambiente ótimo para aplicar projeto.

Mês de Março

O mês de março foi período de adaptação e observação na escola, onde fiquei dentro da sala de aula observando os alunos, suas dificuldades, criando afinidade com os mesmos, planejando em que área e como aplicar o projeto. Como eu era de outra escola ano passado, eu não tinha nenhum projeto para essa nova escola, então precisava de tempo para conhecer e pensar sobre o projeto.

Mês de Abril

No mês de abril os alunos foram auxiliados nas aulas, pois estavam em período de trabalhos e provas. Nesse momento foi possível perceber as dificuldades de alguns alunos. Foi feito uma pausa nas atividades de sondagens para não atrapalhar o cronograma de trabalhos e provas da escola. A sondagem será feita em um período posterior. O projeto foi explicado para a professora da turma e será encaminhado para aplicação com os alunos do 5° ano C.

 

PROFESSORA RESPONSÁVEL: Prof.ª Dr.ª Maria Cristina Marcelino Bento

  • ALUNA: ADRIELI RIBEIRO
  • Tema: Ortografia e Ludicidade
  • Público alvo: 5º ano
  • Dia das atividades: quinta-feira

Atividades desenvolvidas

Projeto Integrador III: Produção de um livro de receitas

Brincadeiras com bexigas: trabalhando a escrita de forma lúdica utilizando bexigas e em grupos.

 Sílabas e ditado: Trabalhamos a escrita com palavras separadas por sílabas no EVA e ditado, também em grupo e de forma descontraída.

Produção de texto para uma sondagem de como continuar o projeto: iniciado na última semana, ainda não concluída. Produção de um texto com o tema “O que a escola é para mim” para sabermos onde erram, o que já melhoraram e como continuar o projeto.

Ana Rosa da Silva, Jocasta de Campos Martins, Maria Clara Moreira da Silva, Marcela Aparecida dos Santos Lino, Valéria de Oliveira Mota.

Prof.ª Dr.ª Maria Cristina Marcelino Bento


Resumo

Face ao processo de melhoria e desenvolvimento de escrita e leitura dos alunos do ensino fundamental, a docência universitária mostra-se com uma temática bastante importante. Neste contexto, o trabalho apresenta um relato de experiência das alunas de graduação do curso de pedagogia do Centro Universitário Teresa D’Ávila, na unidade escolar EMEF “Professora Maria Antonieta Arantes Ferreira” para os alunos do 5º ano do período matutino e 3º ano do período vespertino.  O projeto desenvolvido foi intitulado como “CARTAS PARA O FUTURO” onde os alunos produziram cartas com o pensamento no futuro que desejam, ou projetam para as suas vidas. Livros didáticos foram utilizados para o auxílio na confecção das atividades e reflexão dos alunos, a fim de incentivar na criação dos textos. O resultado do projeto foi o aproveitamento, curiosidade e disposição dos alunos no desenvolvimento das atividades buscando o conhecimento.

Palavras-chave: Leitura; Escrita; Planejamento; Processo; Desenvolvimento.


Introdução

Este relato de experiência tem como objetivo principal relatar a importância de trabalhar a escrita e leitura no ensino fundamental.

Sabemos que os alunos possuem grande dificuldade no processo de escrita, e este problema envolve diversos fatores: físicos, psicológicos e emocionais. Toda a aprendizagem advém de um gatilho emocional, portanto esse relato irá abordar todos esses aspectos que interferem no desenvolvimento ou não da aprendizagem.

Os projetos nascem de boas questões, que são a chave de uma boa pesquisa. A pergunta transcende as próprias disciplinas, o tempo histórico e o espaço físico. As boas respostas não têm valor em si, pois nascem de perguntas corajosas, amplas, humanizadoras, éticas, esperançosas, que atinjam as verdadeiras questões humanas. Elas têm muito de Filosofia (ALMEIDA; JÚNIOR, 1999)

 

O Projeto

A proposta do projeto integrador é de trabalhar com os alunos de ensino fundamental a capacidade de escrita e confeccionar um livro escrito por eles. A produção de texto significa ser movido pela intenção de comunicação com um interlocutor real ou virtual. O objetivo que leva a elaboração do texto assim como o interlocutor a quem ele é dirigido, definem a escolha do tipo de texto e da linguagem mais adequada, das informações e dos argumentos – enfim, estruturam o conteúdo e a forma do texto.

O projeto foi aplicado na escola EMEF “Professora Maria Antonieta Arantes Ferreira” onde o grupo já realiza um trabalhado de acompanhamento com os alunos, o PIBID.

Para Pereira (2004, p. 82), trabalhar com Projetos facilita a atividade, a ação, participação do aluno no seu processo de produzir fatos sociais, de trocar informações com o outro e desenvolver competências.

Planejamento

O projeto integrador foi um projeto que teve uma data de início e fim já estipulados, e que foi relativamente curto, mas isso não excluiu a necessidade de planejamento das atividades que foram realizadas. O planejamento das atividades é um fator determinante para que o professor atinja seu objetivo. Com ele conseguimos traçar as metas e quais os próximos caminhos que serão tomados após a aplicação de uma atividade.

Dentro desse contexto, o planejamento assume tamanha importância a ponto de se constituir como objeto de teorização e se desenvolve a partir da ação do professor que envolve: “decidir acerca dos objetivos a serem alcançados pelos alunos, conteúdo programático adequado para o alcance dos objetivos, estratégias e recursos que vai adotar para facilitar a aprendizagem, critérios de avaliação, etc.” (GIL, 2012, p. 34).

O planejamento foi embasado em informações que foram obtidas na escola a partir dos históricos das turmas já citadas acima.

De acordo com o mesmo, a equipe fez um levantamento dos pontos que mais interferem no processo de ensino e aprendizagem dos alunos, como assim segue:

  • Defasagem de conteúdo
  • Falta de estímulo que gera a baixo auto estima
  • Desinteresse em exercitar a escrita

Abordagem

Após o levantamento feito foi elaborado uma sequência de atividades para estimular a produção de texto, criando um ambiente confiável para que a criança consiga escrever.

Segundo MONTESSORI, 19 [70] a, p.45, é esta sensibilidade que permite à criança relacionar-se com o mundo exterior, de modo excepcionalmente intenso. E então tudo se torna fácil, tudo é entusiasmo e vida. Cada esforço representa um acréscimo de poder.

Atividade das bexigas coloridas

Para a realização da atividade foi necessário apenas bexigas. Dentro de cada uma o grupo colocou uma palavra que despertasse alguns sentimentos como: amor, felicidade, esperança, entre outras. Essas palavras foram escolhidas para que os alunos já fossem se familiarizando com o tipo de redação que iriam escrever para a criação do livro.

Cada aluno pegou uma bexiga e estourou, com a palavra que estava dentro do balão o aluno precisava escrever um pequeno parágrafo com ela.

A atividade colaborou bastante para dar início ao projeto, estimulando a imaginação das crianças.

Bexigas com as palavras
Graduanda Marcela Lino
Aluno do 5º ano
Palavra da bexiga: AMIZADE
Palavra da bexiga: EDUCAÇÃO
Palavra da bexiga: EDUCAÇÃO

Pode ser observado após a aplicação dessa atividade que seria um processo que necessitaria de mais treinos, pois os alunos ainda estavam tímidos em suas produções e com erros consideráveis. A escrita estava bem crua, contendo erros de ortografia e com alguma dificuldade no direcionamento da escrita.

Leitura de Livros e Histórias

Para a imersão da ideia da confecção do livro de cartas, a segunda atividade foi envolvendo livros e histórias para os alunos. A equipe levou até forma com os personagens.

Uma história popular contado por Eloy Moreno intitulada como “A criança pôde fazer isso”. Essa história passa uma mensagem de acreditar no seu potencial.

A fábula do sapinho surdo de autor desconhecido, uma história motivacional.

Ilustração do Livro
Fábula do sapinho surdo
História de Eloy Moreno

O resultado dessa atividade foi exatamente o esperado. A ideia de contar histórias mais próximas da realidade e motivacionais foi para ajudar nos problemas identificados na avaliação diagnóstica das salas. Os alunos se apresentaram mais animados e escreveram o que mais gostaram das histórias contadas.

Alunos escrevem o que mais gostaram das histórias
Alunos escrevem o que mais gostaram das histórias

Alunos escrevem o que mais gostaram das histórias

A aprendizagem significativa implica sempre alguma ousadia diante do problema posto: o aluno precisa elaborar hipóteses e experimentá-las. Fatores e processos afetivos, motivacionais e relacionais são importantes neste momento (Brasil, 2000, p.52, apud Dohme, 2003, p.124).

Confecção do livro

Após todo esse processo de preparação, os alunos colocaram a mão na massa. Foi disponibilizado para eles folhas coloridas e fitas adesivas com brilhos para motivá-los ainda mais.

O projeto que inicialmente se chamava “CARTAS PARA O FUTURO” acabou sendo modificado pelos próprios alunos para “AVENTURA DOS SONHOS”, o que nos deixou muito felizes e surpresas, pois vimos ali que todo o planejamento tinha valido a pena e de fato funcionado.

Capa do Livro confeccionado pelos alunos – AVENTURA DOS SONHOS

Conclusão

Concluímos este projeto com uma imensa satisfação e orgulho da nossa equipe e dos alunos. Desde o começo toda a equipe se mobilizou e pensou numa forma de fazer a diferença e de fato atingir um objetivo. Entendemos que o processo de ensino e aprendizagem precisa de planejamento do início ao fim e que sem ele fica mais difícil mensurar os resultados e chegar no objetivo proposto.

Apesar das dificuldades encontradas no caminho dos alunos é possível desenvolve-los, cabe a nós futuros professores nos dedicar, diagnosticar cada aluno e qual a real necessidade da sala de aula, sem ter pressa. Educação precisa de cuidado e atenção.

Este trabalho nos tirou da zona de conforto fez com que olhássemos com mais cuidado para a realidade de cada aluno.

Toda a gestão da escola EMEF “Professora Maria Antonieta Arantes Ferreira” e a professora Maria das Candeias Santos nos receberam muito bem e deram o suporte necessário todos os dias de projeto.

Referências

ALMEIDA, F. J.de, JÚNIOR F. M. F. Aprendendo com projetos. MEC, Secretaria da educação a Distância. Brasília: MEC 1999. (Coleção Informática para a Mudança na Educação).

DOHME, Vania. Atividades Lúdicas na Educação: O caminho de tijolos amarelos do aprendizado. 4a Edição. 182p.Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa.4.ed.São Paulo: Cortez,1986.

MONTESSORI, M. A Criança. Rio de Janeiro: Portugália Editora Brasil, 19[70]a.

PEREIRA, O. A. Pedagogia de Projetos. In: Janus, Lorena, nº1, p.79-97, 2º semestre, 2004.

Sites Consultados:

https://www.revistapazes.com/deveria-ser-obrigatorio-contar-essa-historia-a-todas-as-criancas-do-mundo/ acesso em: 01/05/2019

http://www.wesleyamaral.com.br/site/noticias-palestras-motivacionais/82-fabula-sapinho-surdo-motivacao.html acesso em: 01/05/2019

Sequência Didática

Data: 20/03/2019

Nome da atividade: Observação e interação com os alunos

Objetivos: Construir aprendizagens significativas; trocar conhecimentos e experiências; aprender a se relacionar com o outro; construir valores como cooperação, solidariedade e respeito.

Resultados: Alunos se mostraram tímidos, sala bastante agitada, obtive poucos diálogos, os alunos foram bem atentos nas conversar de roda.

Data: 27/03/2019

Nome da atividade: Observação e aceitação do projeto.

Objetivos: Acompanhar com alunos auxiliando a professora nas atividades, interagir com os alunos, mostrar ludicidade, criatividade e trabalhar em equipe com criatividade.

Resultados: Os alunos mostraram menos tímidos, aceitaram a presença da pibidiana nas aulas e  gostaram do programa do projeto da instituição.

Data: 03/04/2019

Nome da atividade: Apresentação do Projeto: Competência Socioemocionais

Objetivos: Acolher as crianças e apresentar as propostas do projeto inicial.

Resultados: Satisfatório, todos os alunos participaram das brincadeiras e rodas de conversas.

Data: 17/04/2019

Nome da atividade: Carta “Modelo Dino”- Oralidade e Escrita

Objetivos: Desenvolver as competências socioemocionais, fortalecer vínculos afetivos, autoestima, construção coletiva e linguagem, além de consolidar o relacionamento entre a escola e a família, registrar fotos, desenhos e escritas.

Data: 08/05/2019

Nome da atividade: Dinâmica do espelho – Autoconhecimento

Objetivos: Perceber a importância de cada aluno em sala de aula; explorar a identidade de cada criança; possibilitar o reconhecimento de si mesma; identificar suas características e potencialidades; seus limites e estimular atitudes de cuidados com sua personalidade, reforçar positivamente a valorização pessoal e autoestima; trabalhar qualidades individuais.

Resultados: As crianças adoraram as atividades, mostraram ativos e participativos, também se expressaram com clareza o que sentiam após a dinâmica.

Data: 15/05/2019

Nome da atividade: Dinâmica das emoções – Sentimentos e Sentidos

Objetivos: Observar as reações emocionais, expressar as emoções e sentimetos

Resultados: Os alunos mostraram felizes e participativos, gostaram bastante e se interagiram como equipe.

Relatório PIBID – março a junho

  • Aluna: LAIZA MARTINS DE SOUZA
  • Escola: Profª Hermínia Figueira de Azevedo Almeida 
  • Sala: 2º ano C
  • Professora da sala: Cláudia Ignácio

Nos primeiros dias houve a observação da sala e auxílio aos alunos com mais dificuldades, a professora que assim como a escola acolheu minhas ideias e sempre esteve disposta a ajudar.

Em alguns dias foram realizadas atividades com jogos de tabuleiros que foram produzidos especialmente para as dificuldades encontradas em sala.

Jogo da velha: para estimular o raciocínio logico, sala encontrava muita dificuldade em encontrar mecanismos para resolverem questões problemas simples.

Jogos com questões problemas como desafios: como já foi dito os alunos sabem realizar questões matemáticas mas tem muita dificuldade em encontrar meios para chegar nos resultados, os jogos estimulavam os alunos a encontrarem caminhos mais fácil para resolverem os problemas.

Jogo para associar os números as quantidades: o jogo foi feito especialmente para uma aluno com mais dificuldades, como ela não tinha interesse nas matérias teóricas e em nenhuma atividade que não tivesse algo para pintar o jogo foi feito para colorir, após associar o números representante da quantidade representada por vários tipos de desenhos ela teria que pintar esses desenhos, exemplo: colocava o número 4 e na quantidade havia 4 bolas desenhadas, depois de colocar corretamente a aluno poderia pintar essas bolas.

Todos os jogos foram produzidos exclusivamente para esses alunos e foi utilizados em suas montagens os seguintes matérias: pano de prato, caneta para tecido, E.V.A. e cartolina.

Depois começamos a produção do livro com reescrita de parlendas que foi dividido em alguns encontros:

1º encontro:

No primeiro encontro foi apresentado o que é a parlenda, segundo o caderno de orientações do ministerio da educação (2011): “Parlendas é um tipo de texto que faz parte da tradição oral, em sua maioria de domínio público, e se caracterizam por uma forma breve, rimada, ritmada e repetitiva, nem sempre com significado lógico. Pode apresentar, por exemplo, uma série de imagens associadas que obedecem ao senso lúdico ou um diálogo inusitado no qual predomina a sonoridade e não a coerência.”.

Explicação sobre as parlendas no quadro.

Após a breve explicação sobre as parlendas, recitamos juntos algumas, umas que os alunos já conheciam e outras que retiramos de um livro de parlendas da biblioteca.

Algumas das parlendas recitadas junto aos alunos foram:

“Batatinha quando nasce

Espalha rama pelo chão

Menina quando dorme

Põe a mão no coração. ”

“Um, dois, feijão com arroz,

Três, quatro, feijão no prato,

Cinco, seis, falar inglês,

Sete, oito, comer biscoito,

Nove, dez, comer pastéis. ”

“Lá em cima do piano

Tem um copo de veneno

Quem bebeu, morreu”

2º encontro:

No segundo encontro começamos relembrando as parlendas que já havíamos trabalhado no encontro anterior, após relembrar foi proposto a eles a reescrita, no momento eles não demostraram interesse e nem confiança para realizar essa reescrita, então realizamos a reescrita da parlenda “hoje é domingo, pede cachimbo” com eles no quadro, e o que parecia ser complexo foi realizado com bastante facilidade em conjunto, a reescrita da parlenda “hoje é domingo, pede cachimbo” ficou assim:

“Hoje é sábado,

Pé de quiabo,

Quiabo é de prata,

Bate na lata,

A lata é redonda,

Bate na bomba,

A bomba explode,

E acabou-se o mundo. ”

Parlenda criada pelos alunos no quadro

Além da reescrita da parlenda servir como exemplo para que eles pudessem recriar sua própria parlenda sozinho também serviu como auxílio nas outras etapas do livro como iremos ver pela frente.

Antes de encerrar o segundo encontro foi entregue uma folha a cada um para que tentasse reescrever alguma parlenda, todas as parlendas trabalhadas ficaram no quadro para auxiliarem na reescrita, apesar de conseguirem fazer juntos no quadro podíamos ver que ainda não realizavam sozinhos por falta de um incentivo (já que não tínhamos dito ainda a eles que as reescritas virariam um livro), devolveram as folhas quase todas em branco e alguma com poucas palavras, a reescrita ainda não teria êxito.

3º encontro:

No terceiro encontro novamos relembramos todas as parlendas e mais uma vez as deixamos no quadro para auxiliarem. Depois de recitar juntos as parlendas foi explicado o a fim das reescrita, falamos sobre a criação do livro e sobre o autógrafo que eles teriam que dar no livro já que seriam eles os autores, logo em seguida foi distribuído novamente as folhas e eles começaram a reescrita, ajudamos a todos, cada um de uma maneira diferente, alguns tinham dificuldade em algumas palavras mas sabiam escrever sozinhos, outros sabiam apenas algumas sílabas e precisaram que estivéssemos todo o tempo da reescrita juntos deles para que conseguissem escrever, outros conheciam as letras mas ainda não formavam sílabas e precisaram do nosso auxílio em todo momento da reescrita, auxiliamos com a soletração, e outros conheciam apenas algumas letras e o auxílio veio com o alfabeto exposto em  sala de aula, onde seria mostrado qual letra ele teria que colocar e que letra era aquela. Conseguimos terminar a reescrita nesse dia já com as correções.

Produção da reescrita das parlendas
Produção da reescrita das parlendas

4º encontro:

No quarto encontro começamos escrevendo novamente a parlenda criada no quadro com todos os alunos, após a escrita da parlenda “ hoje é sábado” no quadro explicamos que nos livros além das palavras encontrava-se também gravuras, desenhos, que são chamadas de ilustrações, e a partir da nossa parlenda criamos no quadro algumas ilustrações referente a nossa parlenda, como exemplo o trecho “a bomba explode” então foi desenhado uma bomba acessa prestes a explodir, no trecho “quiabo é de prata, bate na lata” desenhamos o quiabo e também uma lata, depois discutimos a importância de ter cores no livro, já que chama bastante atenção, eles começaram a reproduzir suas ilustrações.

Ilustrações feitas no quadro.
Produção das ilustrações

5º encontro:

No quinto encontro continuamos com as ilustrações e depois de encerramos essa etapa construímos a capa do nosso livro. Assim como todo o livro foram os alunos quem escolheram cada detalhe, o título foi escolhido através de votação onde quatro crianças deram sugestões de como poderia ser, a primeira disse para que o título do livro fosse “a casa” a segunda deu a opção de ser “arco-íris “ a terceira criança queria que o título fosse “ A galinha” e o quarto optou por ser “ o macaco” com mais da metade da sala em acordo o título ficou como “ parlendas arco-íris” depois de escolhermos o título escolhemos o que mais poderia ter na capa e elas queriam que na capa tivessem dois gatos  dois macacos, casas e claro o arco-íris, eles optaram por colocarem seus nomes na parte de trás da capa, após estar tudo decidido demos início na capa, algumas crianças fizeram o título, outras arco-íris, outras macacos e casas. Encerramos o desenvolvimento do livro nesse último encontro.

Escolha do título.
Produção da capa.
Produção da capa
Livros prontos

No dia 27 de junho encerramos as atividades do PIBID com o lançamento do livro em uma manhã de autógrafos com a presença dos pais dos alunos.

Fotos do lançamento do livro com alguns alunos autografando os seus livros.

Aluna: Marília Guizalberte Silva

Escola Maria Antonieta Arantes Ferreira – Cecap Lorena-SP

4° ano

Desde primeiro dia observei o quanto de apoio àquelas crianças precisavam, eles não tem nenhuma autoestima vivem em competições, não tem nenhuma ligação ao próximo eles não agem como você é meu colega ou amigo e eu posso te ajudar no trabalho, no exercício dado em aula e todo o resto, cada um é individual. A maioria é de pais e mães envolvidos com drogas e criados pelos avós, alguns o pai ou a mãe já faleceu por envolvimento do trafico, e para conseguir um afeto deles é bem difícil são bem arrisco.

Ao falar em aprendizagem a maioria da sala mal sabem escrever seu próprio nome, não sabem ler e mal escrever, a falta de atenção que eles têm a má criação com a professora, são palavreados que eles nem sabem o significado e falam palavras de ofensa, mas sei que tudo isso vem de uma má criação formada em casa.  A falta de interesse deles é o que mais os prejudicam, está indo por ir, e muitos têm um grau elevado de faltas e que iram repetir novamente por só faltarem.

Alguns falam de um futuro melhor de querem fazer uma faculdade, que não vejam a hora sair da escola e estar na faculdade, eu fiquei bem prazerosa em ouvi-los dizer o quanto eles querem a vida deles diferente das dos pais, isso é algo grandioso de se ouvir vindo de um bairro que tem a criminalidade todos os dias e renda estável.

3° ano

Nestas duas semanas na qual comecei a partir do estágio a tarde vi que as crianças são bem mais dadas do que as do 4° ano, elas logo me perguntaram o nome, se eu seria professora como a´tia´e logo foram falando, á tia não seja professora porque ser professora dá muito trabalho a tia sobre com a gente aqui, seja diretora é mais tranquilo, eu apenas ri e fui conhecê – lós e percebi o porquê eles eram tão elétricos do que a outra sala eles são alunos repetentes de vários anos a maioria de idades entre nove e dez anos, mas tenham o mesmo sistema de aprendizagem do 4° ano. Querem aprender através de jogos didáticos é o que mais os cativam, mas são bens mais sociáveis e opiniões mais formadas que deve ser por serem mais velhos do que os outros, porém o grau de aprendizagem é péssimo também venham de dificuldades anteriores.

Não tenho um projeto elaborado para cada, lá tem que ser algo para todos aumentar a autoestima deles é o essencial e o que eu venho conversado e tentado melhorar isto neles, e trabalhar com um modo grupal com eles mostrar de como é bom ter amigos e poder ajudo lós que é ajudando um ao outro que possamos ser pessoas melhores. Tenho conversado e observado o quanto alguns mudaram o modo de escrever de se interessar na aula dentro deste pouco tempo teve aluno que bem lá no começo mal sabiam escrever uma frase de texto ou até criar algo e no decorrer dos dias vi que esta ajuda ta sendo valida, obtive um passo nesta melhoria no aprendizado destas crianças.

Aluna: Marina Silva Martins

Escola Prof.ª Hermínia Figueira de Azevedo Almeida

As atividades do PIBID nesse ano, deram início no dia 22/02 em uma reunião no UNIFATEA e, na escola no dia 18/03.

Estou no 4º ano B, com a professora Rosani, todas as segundas feiras no período da manhã.

Passei algumas semanas observando a classe e o modo de trabalho da professora e ajudando os alunos nas tarefas que eram propostas. Por fim, cheguei à conclusão que poderia ajudar mais focando nos alunos que têm dificuldades de escrita e leitura e, com o apoio da professora, passei a oferecer atividades para três alunos que ainda estão em processo de alfabetização.

Levando em consideração o grande volume de matéria que a professora tem que passar e com data previamente marcada pela direção da escola e município e a grande dificuldade desses alunos acima citados em acompanhar a turma, não propus nada além do currículo para não atrasar as matérias obrigatórias, mas ajudar tanto alunos quanto a professora a andarem de forma mais igualitária no nível de aprendizagem.

Abaixo, relaciono as atividades diárias e suas respectivas datas e resultados obtido no dia da aplicação:

Fase de observação e ajuda nas tarefas propostas pela professora

 18/03

  • Aula de Língua Portuguesa
  • Leitura João Mata Sete – livro PNLD
  • Conteúdo: Separação Silábica e classificação em Ditongo, Tritongo e Hiato.

25/03- Prof.ª Magda 4º ano A

  • Geografia
  • Conteúdo: Brasil/ Regiões, Estados e Capitais.

01/04- Leitura Inicial (feita pela professora) – Continuação: “O Louco do meu Bairro”.

  • Matemática
  • Conteúdo: Ocasiões em que se usa números/ Sequência numérica.
  • Língua Portuguesa
  • Sons do “r”

08/04- Leitura Inicial “Azul de Medo” – Bate papo com os alunos sobre cada um dormir em sua cama.       

  • Língua Portuguesa
  • Atividade em grupo: Ler e discutir sobre as seguintes crônicas:
    • O toco de lápis- Pedro Bandeira
    • Chatear e encher- Paulo Mendes
    • O melhor amigo- Fernando Sabino
    • Um jogo que é uma vergonha- Fernando Sabino

 15/04-Leitura inicial- Continuação “Diferentes somos todos”- Alina Perl’ma

  • Língua Portuguesa
  • Conteúdo: Sons do “r” e suas regras
  • Exercícios de fixação

22/04- Leitura inicial- continuação do livro anterior

  • Correção de exercícios de História
  • Atividade Avaliativa Interdisciplinar (Ciências, História e Geografia)

29/04- Sondagem de leitura “A tartaruga e a lebre”

  • Língua Portuguesa
  • Conteúdo: Substantivo, artigo definido e indefinido/ masculino, feminino, singular e plural.

06/05- Sondagem de leitura “A formiga e a cigarra”

  • Língua Portuguesa
  • Conteúdo: Fábulas

13/05- Sondagem de leitura “O leão e os ratos”

  • Língua Portuguesa
  • Conteúdo: Fábulas- as crianças dizem a moral da história.

Minhas atividades:

  • Ditado divertido- caixa com diversas figuras, a criança sorteia e escreve o que vê na figura. Cada criança sorteou três figuras, escreveu seus nomes, depois uma frase e depois um pequeno texto contendo as três figuras.

20/05- Leitura inicial “A menina do leite”

  • Moral criada pelas crianças
  • Língua Portuguesa

Conteúdo: Leitura “A causa da chuva Millôr Fernandes)

    Minhas Atividades:

  • Escrita dos numerais por extenso de 0 – 20
  • Jogo da forca em EVA

Obs: Um aluno se recusou a escrever os numerais, então propus que escrevesse de algo que gostasse e ele aceitou escrever sobre seu prato preferido- panqueca- acabou sendo divertido para ele.

27/05- Dedetização da escola, aulas suspensas

10/06- Avaliação de Matemática

Minhas Atividades após a prova:

  • Leitura de sílabas complexas
  • Salada de sílabas complexas (formar palavras)

Conclusão: Acredito estar ajudando a professora com essas atividades, um dos alunos costumava faltar nas segundas feiras e já não vem faltando há algumas semanas. Outra aluna trocava com bastante frequência o “F” e o “V”, com as atividades vem melhorando. Para o próximo semestre pretendo trabalhar letra cursiva, pois não escrevem nem lêem com essas letras.

M. “Prof. Ruy Brasil Pereira”.

Aluna: Simone Aparecida Germano – 3º período

Lorena, 15 de maio de 2019.

No dia 27 de março de 2019, retornei à escola, na parte da tarde para continuar minhas observações acerca do desenvolvimento do Projeto do PIBID.

Eu comecei ficando na turma do 3°A, onde há um aluno chamado Kauã que apresenta uma séria dificuldade de aprendizado, segundo a professora ele é um caso de inclusão, mas a mãe não concorda e não busca orientação profissional para solucionar o problema do filho, dessa forma a professora sente dificuldade de trabalhar com essa criança sem a ajuda de um monitor, então o ajudei a fazer algumas atividades e fiz um ditado simples (figura 1).  Foi possível perceber que ele reconhece as letras, mas não consegue identificar os sons, sua escrita às vezes é espelhada e não consegue formar sílaba, é uma criança atenta e interessada, quando começava a dar uma acelerada eu pedia para ele começar com mais calma, ele escutava e começava novamente.

No dia 03 de abril eu continuei com a mesma turma, auxiliei o Kauã a fazer sua avaliação de matemática (figura 2). Percebi que ele decora os números, trabalha bem melhor com figuras e com o auxílio de alguém pois está em processo de alfabetização e não consegue acompanhar a turma. No segundo período o ajudei a fazer as atividades da professora, ele estava mais à vontade comigo e conversou bastante. Foi proposto que se fizesse um desenho para a capa do caderno de Produção Textual e ele começou a desenhar os personagens do seu jogo preferido, o qual não consegui entender bem os nomes mas fiquei contente com o seu desempenho, pois me descreveu cada um e detalhou muito bem as características no desenho.

No dia 10 de abril eu fui para a turma do 4° B, a professora pediu para eu auxiliar dois alunos que apresentam um pouco de dificuldade, inclusive eram do meu grupo de reforço do ano passado. Os dois são esforçados e interessados. Enquanto a professora ditava uma fábula para a classe eu ditei a mesma para os dois com mais calma e atenção, percebi que os dois têm um pouco de dificuldade para formar as frases, confundem o som de algumas letras, perdem a concentração facilmente e acredito que com uma ajuda individual ou trabalhando em dupla eles se desenvolvem melhor.

No dia 17 eu não pude ir para resolver um assunto familiar.

No dia 24 eu fui para a turma do 3° B, onde há algumas crianças repetentes, em diferentes níveis de aprendizado. Auxiliei um grupo de alfabetização, onde a professora elaborou uma apostila para trabalhar com eles de forma mais simples (figuras 3 e 4). Percebi que dois deles já estão bem avançados e logo estarão acompanhando a turma, os outros dois precisam de mais atenção. Consegui trabalhar algumas atividades da apostila com eles, até mais do que a professora esperava pois eles gostaram da maneira como os exercícios foram propostos e se empenharam em fazer. A sala no geral parece ser produtiva, mas se desconcentram com facilidade.

Figura 1- Atividade com Kauã.
Figura 2- Avaliação do Kauã.
Figura 3- Grupo de Alfabetização.
Figura 4- Grupo de Alfabetização.

Escola: E. M. “Prof. Ruy Brasil Pereira.”

Aluna: Simone Aparecida Germano – 3º Período de Pedagogia

No dia 7 não pude comparecer devido a problemas com a condução.

No dia 15 fiquei na sala do 3° B onde irei aplicar meu futuro Projeto. De acordo com minhas observações e o relato da professora, percebi que os alunos são muito agitados, tem dificuldade de concentração. Diante dessa realidade decidi realizar um projeto voltado para o lúdico e sua influência na aprendizagem, especialmente pelas crianças repetentes, desmotivadas e desinteressadas. No caso, a maioria é interessada, participativa mas tem dificuldade de concentração.

Ajudei o grupinho com as atividades da apostila de alfabetização e trabalhei a formação de palavras por meio de um material didático que elaborei na faculdade. As crianças gostaram de trabalhar com o material diferente, primeiro leram as palavras, depois as transcreveram para o caderno.

No dia 22 ajudei o grupinho a fazer a avaliação mensal interdisciplinar. No segundo período, a professora liberou uma aula para eu aplicar algumas brincadeiras, selecionei as que trabalham a concentração. Consegui realizar e ter a participação de quase todos. As crianças gostaram e interagiram bem.

No dia 29 ajudei o grupinho a fazer a avaliação de português, foram bem sozinhos, apenas uma aluna precisou de mais ajuda na leitura. No segundo período trabalhamos um pouco com a apostila de alfabetização, depois eu passei uma dinâmica para a turma, que se chama “O macaco falador “, com o objetivo de chamar a atenção deles para o respeito com o próximo e trabalhar a escuta e concentração. Eles prestaram atenção em minha leitura e conseguiram realizar a atividade que passei sobre a leitura do texto. Gostei das respostas e interação deles.

Dia 5 não pude comparecer devido a consulta médica.

Dia 12 no primeiro tempo ajudei o grupinho de alfabetização e no segundo tempo apliquei uma dinâmica chamada “Balões da Ortografia”. Com base nos erros de escrita que percebi na atividade anterior, realizei essa dinâmica para trabalhar os erros ortográficos com eles. Cada um recebeu uma bexiga com uma palavra escrita de forma correta e incorreta dentro, ao estourá-la cada um deveria ler as palavras e identificar a correta, transferindo-a para a lousa. As crianças gostaram e interagiram bastante, o resultado foi muito satisfatório.

Dia 19 ajudei o grupo de alfabetização no primeiro tempo e no segundo tempo realizei uma leitura de Poemas de forma dinâmica. Separei dois poemas por estrofes e os distribui em duplas para que fizessem a leitura juntos e depois todos para a classe. Foi um pouco difícil devido a agitação da turma, mas foi interessante, a maioria se concentrou e leu bem. Fizemos a leitura duas vezes em cada poema e depois os li para a turma, conversamos um pouco sobre o que perceberam nesse gênero e no poema em si.

Aluno: Vitor T. Pimentel – 3° período

Relatório das atividades realizadas no PIBID

As atividades do PIBID iniciadas ao final do ano anterior foram realizadas até o presente momento em duas escolas diferentes.

Durante o período de atuação na primeira escola, as atividades realizadas tinham foco principalmente voltado para o reforço, junto à sala de aula ou com alguns alunos fora dela. O objetivo dessas atividades era ajudar os alunos que demonstrassem mais dificuldade em relação á matéria aplicada, sendo esses alunos identificados pelo professor. As atividades nessa escola foram realizadas até o final do ano letivo de 2018.

Devido a mudança na disponibilidade de tempo para frequentar a escola, foi necessário alteração do local para continuar a atuar no PIBID durante o ano letivo de 2019. Nessa segunda escola, foram realizadas duas diferentes atividades visando trabalhar principalmente a afetividade dos alunos. Na primeira atividades os alunos deveriam abrir uma caixinha, onde havia um espelho, e em seguida desenhar a imagem deles. Na segunda atividade os educandos deveriam escolher entre algumas imagens de ilusão de ótica e então ilustrá-la ou escrever sobre ela.

Com a aplicação dessas atividades espera-se ter uma noção da maneira como eles se veem e como reagem a mudanças rápidas das imagens escolhidas.

Entre em contato conosco

Estamos ansiosos pelo seu contato!

Av. Dr. Peixoto de Castro, nº 539
Lorena, SP

(12) 2124-2870