Menu fechado

Academia de Letras de Lorena convida a comunidade acadêmica a participar do Concurso Irmã Olga de Sá

A Academia de Letras de Lorena – ALL convida os docentes e discentes do UNIFATEA a participarem do concurso Irmã Olga de Sá. A inscrição vai até o dia 6 de agosto, é online, gratuita e pode ser feita entrando em contato com o e-mail letras@fatea.br. O concurso tem como objetivo valorizar as obras produzidas pela população do Vale do Paraíba e colocar essas produções em destaque para outros autores e amantes da arte. Os premiados em cada categoria receberão o diploma de mérito da Academia de Letras de Lorena.

O evento existe há 3 anos e homenageia um escritor diferente da nossa região em cada uma de suas edições. Em 2019, Péricles Eugênio da Silva Ramos pôde ser homenageado pela Academia e depois, em 2020, Ruth Guimarães.

Para a professora Neide Arruda, coordenadora do curso de Letras do UNIFATEA e presidente da Academia de Letras de Lorena desde 2019, o concurso serve como valorização da arte e da cultura local. “Como podemos viver em um lugar sem conhecê-lo? A Academia de Letras de Lorena tem como objetivo disseminar a arte e a literatura do Vale do Paraíba de forma que a comunidade conheça seus escritores, obras e valorize o que é produzido na região. ”, explica Neide.

Em 2021, a fundadora do UNIFATEA, Irmã Olga de Sá, será a homenageada da vez. Religiosa, educadora e poeta, é reconhecida pela obra ímpar na educação básica e superior salesiana, materializada no Instituto Santa Teresa e no Centro Universitário Teresa D’Ávila e doada à população de Lorena e valeparaibana. Olga de Sá também fez parte da Academia e, infelizmente, faleceu em outubro de 2020.

Segundo o coordenador Pedagógico do UNIFATEA e membro fundador da Academia de Letras de Lorena, Prof. Dr. José Luiz, a Irmã era muito querida e tinha muito amor pelas tarefas. Ele a define como serena, interessada e objetiva.

“Ela sempre participou das reuniões administrativas, literárias e solenes, e mesmo como escritora no lançamento de seus livros de poesia, filosofia e crítica literária. Quando esteve impedida, por motivo de saúde, passamos a realizar as reuniões no UNIFATEA para não privarmos de sua presença e sabedoria. ”, conta.

 

Quem é Olga de Sá?

A Profª. Drª. Ir. Olga de Sá (1928/2020), é reconhecida pela obra ímpar e perene que erigiu na educação básica e superior, materializada no Instituto Santa Teresa e no Centro Universitário Teresa D’Ávila e doada à população de Lorena e valeparaibana.

Realização de mais de 65 anos, iniciada quando a jovem Irmã chegou em Lorena, acompanhada da Ir. Maria Amélia Simões, em 1954, a convite do Pe. Carlos Leôncio da Silva, Diretor da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Lorena, para coordenar o curso superior a ser oferecido às moças da cidade que reivindicavam o direito à formação universitária. Desafio bem próprio dos que a Ir. Olga gostava de enfrentar.

À luz do carisma da Congregação Salesiana, no exercício de educar, tornou o ambiente escolar propício ao encontro e à partilha, lugar de formação para a cidadania e a transcendência. À frente do Instituto Santa Teresa e das Faculdades Integradas Teresa D’Ávila foi, até 2014, gestora e docente; produtiva com uma trajetória acadêmica, pessoal e religiosa, fruto de sua profunda capacidade de discernir, por se identificar com as causas estruturais e humanas e sociais, em geral, e, em particular, do Vale do Paraíba, que ela amou como terra sua.

A Ir. Olga de Sá nasceu em Iepê, cidade do oeste paulista, cujo nome, em tupi-guarani, aceita as acepções: “liberdade” e “lugar único”. Talvez estas palavras ecoassem no espírito da escritora para o cultivo da liberdade capaz de idealizar obras inovadoras que se concretizam em lugar próprio, único.

A Drª. Olga de Sá era graduada em Letras Clássicas (Instituto Sedes Sapientiae, 1954); e, pela Pontifícia Universidade Católica, SP, concluiu Filosofia (1950), pós-graduação em Psicologia Clínica (1986), mestrado em Teoria Literária (1975) e doutorado em Comunicação e Semiótica (1983), orientada pelo Prof. Dr. Haroldo de Campos; possuía, ainda, Biblioteconomia (Faculdades Integradas Coração de Jesus, S. André, SP, 1978); e Scienze Religiose (Istituto Internazionale Superiore di Pedagogia e Scienze Religiose delle FMA, 1960). Na PUC lecionou e orientou teses, por mais de 25 anos nos Programas de Comunicação e Semiótica e de Literatura e Crítica Literária.

Pesquisadora incansável, escrevia análises instigantes sobre literatura (poesia, prosa e crítica), filosofia, psicologia, artes, comunicação, linguagem, literatura estrangeira moderna, mitologia, música, cinema, semiótica, religião. (É, sem exagero, a mais profunda e reconhecida estudiosa da obra de Clarice Lispector, a quem dedicou os consagrados: “Clarice Lispector: a travessia do oposto” (1999) e “A escritura de Clarice Lispector” (2001), e autora de incontáveis obras, entre elas: Vale do Paraíba: Cultura e Arte (2008); A mulher sacerdotal ou o Sacerdócio do Coração (1995); A paz a seu alcance – Pequeno tratado sobre a paz do coração (1996); Coisas Caladas (2005); e, em 2013, Histórias e Reflexões, Recortes Filosóficos e Literários, e Filosofia e Literatura.

Seus estudos e escritos mostram a simpatia que nutre pelas histórias e causos valeparaibanos, pela incógnita produção artística, pelas variadas manifestações culturais que fraldejam as serras e vagueiam as margens do Paraíba. Assim incentivava a produção dos que investigam as coisas do Vale, ânimo que infundiu, também, a professores e estudantes das escolas que dirigia, que socializassem seus estudos, pois todos têm algo a dizer.

Obra pesquisada para esta biografia: “Olga de Sá: uma peregrina pelo Vale” (José Cláudio Mota da Costa in BARBOSA, Alexandre Marcos Lourenço (org.), Vale do Paraíba e História, Anais do XXVII Simpósio de História do Vale do Paraíba, Aparecida: Editora O Lince, 2014)

(Fonte: Edital do “Concurso Ir. Olga de Sá”)

 

Sobre a Academia

Um grupo de homens e mulheres que se dispuseram a entregar um pouco do seu tempo, do seu ânimo e da sua disposição mental e física à troca de ideias, conhecimentos e informações entre si, com a comunidade local e com instituições congêneres, no intuito de defender e propagar a língua portuguesa como instrumento de valorização da cultura brasileira. Lorena tem sido, desde muito tempo, um lugar privilegiado pela presença de primorosos educadores, artistas, escritores, poetas e tantas mais pessoas que colocaram seus saberes à disposição da coletividade, criando um ambiente de estudo, reflexão e aprimoramento intelectual e moral. A Academia vem se apresentar à cidade e à região, como um traço modesto da tradição cultural desta cidade.

(Fonte: Site oficial da ALL)

Clique aqui e confira o edital do concurso Irmã Olga de Sá 2021

Alcance seus Sonhos e venha fazer parte da Família Letras UNIFATEA

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Traduzir
Abrir WhatsApp.
Precisa de ajuda? Clique aqui.
Olá!
Você tem dúvidas?
Clique em "Abrir WhatsApp" para te ajudamos
%d blogueiros gostam disto: